A campanha contra o PNR continua

A propósito da colocação do cartaz do PNR no Marquês de Pombal, que exige liberdade para os nacionalistas, vieram novamente alguns orgãos de comunicação social lançar falsas notícias especulativas que, da forma como foram transmitidas, induzem os seus leitores e a população em geral em erro grave.
Que fique bem claro, o dirigente do PNR, Vasco L., ou até os outros arguidos actualmente em regime de prisão preventiva, não são suspeitos de agredir qualquer elemento de minorias étnicas ou religiosas.
O suposto crime de “discriminação racial ou religiosa” é imputado, de forma incongruente e inconsistente, unicamente pelas opiniões e opções políticas e ideológicas dos arguidos, opções essas que foram igualmente usadas para justificar o perigo de continuação da 'actividade criminosa'.
Os restantes alegados crimes, dos quais aliás não se prevê penas de prisão, são menores ou de delito comum e não têm qualquer relação uns com os outros ou com o crime de “discriminação racial ou religiosa”, e muito menos têm qualquer relação com o dirigente do PNR.
Assim, verdadeiro crime é tentar associar o nome de todos os arguidos a essas práticas, deturpando a verdadeira essência do caso, que visa unicamente atribuir o carácter de racista de forma indiscriminada aos arguidos e assim 'justificar' o seu crime e a sua prisão.
Acrescenta-se que, ao contrário do que é veiculado por alguns funcionários de jornais, que se encontram ao serviço de sinistras e obscuras figuras, Vasco L. não é suspeito de ter cometido “dezenas de crimes”, estando indiciado pelo Ministério Público de um crime de ofensas, que o mesmo nega peremptóriamente e jura por sua honra não ter cometido, e de um crime de discriminação racial ou religiosa, baseado em 3 ou 4 frases retiradas do meio de outras 100.000 de um fórum na internet, que é igualmente ridículo obviamente.
São esses os “crimes” do dirigente político do PNR, Vasco L., que o Ministério Público acusa de ter no computador “um texto a criticar o governo de José Sócrates”.

3 comentários:

Demokrata disse...

Muitos parabéns pela óptima campanha promovida neste blogue.

Se não fosse incómodo, gostava de vos pedir que me fornecessem o URL do vídeo das FP-25 (no post "Estes não estiveram presos"), uma vez que não encontro esse vídeo em lado nenhum e gostava muito de divulga-lo.

Abraço e obrigado.

Paulo Lopes disse...

Nós sabemos quem está por detrás das difamações.

Sempre os mesmos.

Os maçons, que sabem que nunca controlarão o PNR e por isso tentam extingui-lo.

A Bem da Nação!

Paulo Lopes disse...

Ai o MP acusa o VL de ter texto a criticar o governo do Sotraques?
Então e a mim ninguém me acusa de nada?
Então e as centenas de posts a denunciar as ligações satânicas do governo com a maçonaria que eu fiz não contam?
É o costume. Ninguém me liga.
Vá lá, venham daí. Não tenho medo de ninguém. Quantos são?
São mas é uns filhos da puta duns cabrões de merda, é o que são. Não têm vergonha da merda que fazem, mas tentam que ninguém a veja. A mim ninguém me engana.
A mim ninguém me cala!
A Bem da Nação!