Sentença proferida no Tribunal de Monsanto

Hoje foi lido um resumo das penas aplicadas no acordão de sentença, que ainda não está pronto, e do qual só será entregue cópia aos arguidos e advogados na próxima quarta-feira, dia 8 de Outubro. Em relação ao artigo 240º do Código Penal não ficou provado que os 36 arguidos pertencessem a uma organização que tivesse o objectivo de discriminar ou fazer propaganda racista organizada. Em relação aos restantes crimes, sem conexão com aquele, o colectivo entendeu punir com duras penas crimes como injúrias, coacção, ofensas ou posse de arma.
  • Paulo M.: Sete anos de prisão efectiva
  • Pedro N.: Cinco anos de prisão efectiva
  • Mário M.: Quatro anos e 10 meses de prisão efectiva
  • Rui V.: Três anos e 9 meses de prisão efectiva
  • Paulo L.: Três anos de prisão efectiva
  • Alexandre D.: Dois anos e 10 meses de prisão efectiva
  • Carlos S.: Cinco anos (pena suspensa)
  • José A.: Três anos e 6 meses (pena suspensa)
  • Francisco R.: Três anos (pena suspensa)
  • Nuno P.: Três anos (pena suspensa)
  • Paulo C.: Dois anos e 5 meses (pena suspensa)
  • Paulo R.: Dois anos e 4 meses (pena suspensa)
  • Paulo F.: Dois anos e 2 meses (pena suspensa)
  • Daniel M.: Dois anos e 2 meses (pena suspensa)
  • Pedro D.: Dois anos e 2 meses (pena suspensa)
  • Bruno S.: Dois anos e 2 meses (pena suspensa)
  • Bruno M.: Dois anos (pena suspensa)
  • Bruno M.: Um ano e 10 meses (pena suspensa)
  • Vasco L.: Um ano e 8 meses (pena suspensa)
  • Nélson P.: Um ano e 6 meses (pena suspensa)
  • Dina F.: Um ano e 6 meses (pena suspensa)
  • Sandra C.: Um ano e 6 meses (pena suspensa)
  • Phillippe D.: Um ano e 4 meses (pena suspensa)
  • Miguel L.: Um ano (pena suspensa)
  • Sérgio S.: 250 horas de trabalho comunitário
  • João S.: Três mil euros de multa
  • Tiago J.: Dois mil euros de multa
  • Tiago L.: 1920 euros de multa
  • Nélson P.: 960 euros de multa
  • Rogério P.: Absolvido
  • Nuno T.: Absolvido
  • João C.: Absolvido
  • José C.: Absolvido
  • Diogo C.: Absolvido
  • João R.: Absolvido
  • Vasco C.: Absolvido
O Tribunal ordenou ainda a devolução do material apreendido pela Polícia Judiciária, como livros, bandeiras e computadores.

[notícias relacionadas]

9 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

a francesa que mandou um bebé para o mar e que tinha apanhado 24 anos afinal apanhou 4 anos não foi?

o problema do mario machado foi nao ter feito mal a uma criança, como os pedofilos ou essa francesa, senao tinha sido absolvido e ainda recebia 130 mil euros de indemnizaçao.....

Anónimo disse...

http://www.correiomanha.pt/Noticia.aspx?channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010&contentid=57F7AB88-623A-45DA-B753-93EDCF44832D

Uma mulher condenada pelo Tribunal de Albufeira a vinte anos de prisão pelo homicídio qualificado da sua filha recém-nascida viu a sua pena ser reduzida para apenas quatro pela Relação de Évora, que concordou com a tese de "infanticídio cometido sob a influência perturbadora do parto", proposta pela Defesa, a cargo de João Grade.

Audrey Villegente, francesa, solteira, de 27 anos, lançou a bebé ao mar, na praia de Olhos d’Água, dentro de um saco de lixo, uma hora depois de a ter dado à luz num quarto do Club Med da Balaia, onde trabalhava como babysitter.

Anónimo disse...

O Alexandre Dias levou 2 anos e 10 meses de prisão efectiva por escrever num blog?!?!?!?!?!?!?!?

TRAIDORES DA PÁTRIA!

Anónimo disse...

Sem duvida... Isto é um julgamento politico! PNR tem o meu voto!!

Anónimo disse...

Há coisas que não se compreendem, força a todos os camaradas.

José Ferreira disse...

Quando se manda alguém para a cadeia durante 2 anos e meio por escrever num blog, como aqui li, é sinal de que grandes mudanças se avizinham no panorama político e social português.

Semeam-se ventos, colhem-se tempestades!!!!!

Anónimo disse...

entao aquele animal que foi cagar ao cemiterio leva 5 anos de pena suspensa e o alexandre dias que foi condenado por escrever apanha 2 anos de prisao efectiva????

que merda é esta?????????

Anónimo disse...

A prisão de seis Nacionalistas é a exemplo das mesmas situações que foram levadas à prática a 25 de Abril de 1974 com as prisões de muitos cidadãos portugueses honrados trabalhadores cívicos respeitadores da ordem, para intimidar e fazer parar a maioria silenciosa .
“eles” pretendem intimidar a sociedade.
”eles” querem mostrar ou exibir algo.
“eles” sabem que correm perigo.
“eles” sabem que os lugares que ocupam de roubo e usurpação, vacila.
“eles” sabem que o 25 de Abril foi a maior catástrofe e vergonha na História de Portugal.
“eles” sabem que Portugal nunca viveu tamanha promiscuidade, roubos dos erários públicos, devastação do património do Estado e crimes violentos diariamente, como agora.
“eles” sabem que nunca existiu exclusão social como agora.
“eles” sabem que o povo português foi defraudado.
“eles” sabem que o povo português vive numa constante agonia, que os seus minguos salaries já não permitem que “eles” roubem mais.
“eles” sabem que o que foi uma grande Nação outrora, agora não tem nenhuma hipótese de sobrevivência como país, nem o seu povo nenhumas condições em sobreviver com dignidade.
“eles” sabem que tanto delapidaram e roubaram que os portugueses,não têm garantidos nos seus futuros uma reforma, uma segurança social.
“eles” sabem que Portugual é um barril de pólvora, mas que muitos portugueses não se manifestam por medo, por terror, de perderem o único trabalho de sobrevivência, e esperam que um dia apareça um Patriota com carisma, força, coragem necessária para virar o país.

Enquanto isso não acontece, existem os bodes expiatórios, as vítimas políticas, para intimidar os mais audazes.